É imperativo olhar para além do setor público
Set, 15, 2022
Ultimamente, as crises chegaram rapidamente umas a seguir às outras - ondas de COVID-19, estrangulamento prolongado da cadeia de abastecimentos global, conflito na Europa e aumento dos preços da energia e dos alimentos que aumentaram o custo de vida. Para não ignorar um verão de calor extremo, seca e incêndios florestais na América do Norte, Europa e China, e chuvas recordes no Paquistão e partes da Austrália. As ameaças cibernéticas em constante evolução foram retiradas dos holofotes. Contingências simultâneas destacaram a necessidade de os governos fornecerem liderança e abrirem os seus cofres no curto prazo. Quatro ideias - derivadas de um relatório realizado por Marsh McLennan com a Comissão Nacional de Preparação do Reino Unido - podem ajudar governos e serviços civis a traçar um caminho a seguir. Em conclusão, as crises recentes suscitaram discussões - favoráveis e preocupadas - sobre a trajetória em direção a um governo maior e mais dirigista. Isto talvez esteja a afunilar a moldura. À medida que governos e administrações extraem lições de crises recentes e reconhecem os desafios futuros, podem concentrar-se não apenas no aprimoramento das capacidades e do tecido conjuntivo no setor público, mas também na mobilização do ecossistema mais amplo que fornecerá os resultados desejados. Richard Smith-Bingham, Executive Director of Insights, Marsh McLennan Advantage Por: Richard Smith-Bingham Fonte: Brinknews, em 13 de Setembro de 2022 https://www.brinknews.com/to-achieve-resilience-at-the-national-level-it-is-imperative-to-look-beyond-the-public-sector/?utm_source=BRINK+Subscribers&utm_campaign=8f79ee2e71-EMAIL_CAMPAIGN_2022_09_12_10_38_COPY_01&utm_medium=email&utm_term=0_c3639d7c98-8f79ee2e71-110802009

 

.

Pesquisa
eventos
DRCA - Formação: Auditoria Interna o passado, pre(...)
Online
Set, 30, 2022 18:00
DRCA - Formação: Auditoria ...
VI Congresso Português de Demografia
ISCSP (Instituto de Ci...
Out, 13, 2022 00:00
Eventos de Terceiros
publicidade
cadernoseconomia